Tertúlia "Do Belicismo ao Megafraternismo" - Handout

Hipóteses:

1.    Laboratório evolutivoO planeta Terra é o laboratório evolutivo com a megatarefa da superação do belicismo grupocármico interplanetário.

2.    Transmigrações. As diversas espécies, vindas de diferentes planetas, criam grupocarma bélico entre si, e podem superá-lo no laboratório terrestre, além das transmigrações extrafísicas a menor ou a maior.

 

Citações:

Belicismologia (Dicionário de Argumentos da Conscienciologia, pág. 462)

1.    Pensenologia. Não gostaria de ser pulga na pele das pessoas beligerantes. Quem traz traços belicistas na Paragenética Pessoal tem de cortar no osso, fazer terapêutica cirúrgica, não pode ficar no meio-termo, principalmente o ex-belicista, hoje autoconsciente e intermissivista. Os perdões se impõem de lado a lado. É notório, há séculos, que ninguém de uniforme pode pensar ou pensenizar por si mesmo. O uniforme ou a farda dogmatiza e figura dentre os gravíssimos problemas do belicismo e do militarismo (estigma militar). Os uniformes escravizam. 

2.    Historiologia. O defeito moral anula mais os trafores do que o emocional. O moral é mais profundo, atinge mais pessoas. Pensar em matar os outros, gostar de guerra e colecionar armas e munições é reação moral, e não apenas colecionismo (hoploteca) emocional. Nunca a pessoa chega aqui com amor ao belicismo só devido a essa vida, porque antigamente o que havia mais era guerra mesmo. Na Grécia Antiga tinha guerra todo dia, mesmo quando mostrava alguma fulguração intelectual. A maioria dos antigos filósofos participou de guerras. Alguns foram até preceptores e tutores de líderes guerreiros. Impedir ira animum ne possit cernere verum (A cólera perturba a inteligência de maneira que não se pode distinguir a verdade).

 

Belicismo (Léxico de Ortopensatas, 2° ed., pág. 334)

3.    O belicismo é a pior doença da Humanidade, estando na raiz de todas patologias humanas básicas.

4.    Quem muito foge do belicismo demostra algum indício evidente de superação da belicosidade, mesmo quando ainda tendo necessidade de algum trabalho de infiltração cosmoética.

5.    Vivemos, em 2015, a melhor époqua da História Humana, mas culturalmente é pior fase em função da Tecnologia Bélica avançada.

 

Holomaturologia (Enciclopédia da Conscienciologia, 9° ed., pág. 22.332)

6.    Sadomasoquismo. Qual a razão de a pessoa inventar o petardo, ao modo da bomba de nêutrons, contra a qual a espécie humana não tem proteção? Nenhum animal subumano, com todo o instinto dominador de ferocidade, chegou a tal nível. O homem moderno é o campeão do sadomasoquismo.

 

Bomba (Léxico de Ortopensatas, 2° ed., pág. 351)

7.    bomba é o mal último da Humanidade sem consciência: a Ciência, sem consciência, gerou a bomba atômica; e a Religão, em consciência, gerou o homem-bomba.

 

Crescimento do Planeta-Hospital (Alemanha e a Política mundial no Seculo XX, pos. 38)

8.    Até que ponto as duas guerras mundiais podem ser entendidas como elos da cadeia das guerras hegemônicas européias (de Carlos V e Filipe II a Luís XIV e Napoleão I) e ao mesmo tempo como os grandes preparadores para a mudança dialética do pluralismo ocidental no dualismo mundial de hoje (data ano 1952).

 

Hegemonia (Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguêsa, 2° ed.1964, pág. 2027)

9.    Hegemonias. f. (ant. hist.) supremacia, preeminência de um povo nas federações da Grécia Antiga. II (Mod.) Supremacia de um povo entre outros pelas suas tradições ou condição de raça, por costumes, etc., ou pela superioridade militar ou econômica: Sempre o velho e torturante pesadelo de portugal: a hegemonia da Castela absorvedora...

 

Gênese do Homo sapiens pacificus (Homo sapiens pacificus, 3° ed., pág. 28 e 34)

10. guerra é tour de Force, mutirão, maratona e arrastão coletivo, através dos impulsos básicos dos cerebelos, sem o discernimento dos cérebros dos povos e socins belicosas.

11. A sociedade humana é indispensável à evolução de todos. Ninguém evolui sozinho. Todos evoluem em grupo. Em qual grupo você se situa: no Pacificador ou no Belicoso?

 

Ortopensenidade grupal (rascunho)

12. ortopensenidade grupal é a qualidade de holopensenidade de conscins com proéxis grupal caraterizada pela holomaturidade cosmoética pacifica, libertando-se das interprisões grupocármicas, além dos hábitos belicistas, agindo com megafoco da interassistencialidade. 

 

Acerto Grupocármico (Enciclopédia da Conscienciologia, ed. 2°, pág. 192)

13. Megafraternidade. Segundo a Conscienciometrologia, somente os acertos grupocármicos evidenciam a existência da recéxis de alta expressão da megafraternidade, conduzindo à criação das personalidades similares, de fato, empáticas, afins, sincrônicas e sinérgicas com os princípios do Cosmos.

 

Megafraternologia (Dicionário de Argumentos da Conscienciologia, pág. 934)

14. Cosmovisiologia. Busquemos o melhor para todos com a autopriorização de megafraternidade interassistencial. Derrubemos fronteiras, paredes, portas e janelas devassando o Universalismo com a Cosmovisiologia, vivenciando o entendimento e exemplificando o Universalismo da Megafraternologia.

 

Proéxis (Manual da Proéxis, ed. 5°, pág. 11)

15. Megafraternidade. Quanto mais avançada ou evoluída seja a proéxis, maior o percentual de megafraternidade vivida e incluída em seu planejamento ou em suas cláusulas no curso intermissivo.

Princípio da descrença

Não acredite em nada, nem mesmo no que ler sobre a Extraterrestriologia.

EXPERIMENTE

Tenha suas próprias experiências.

Nicht-Glaubensprinzip

Glaube an nichts, auch nicht dem, was Du über die Extraterrestriologie liest.

EXPERIMENTIERE

Mache Deine eigenen Erfahrungen.

Principle of disbelief

Do not belief anything, not even what you read about Extraterrestriology. EXPERIMENT

Make your own experiences.

Principio de la incredulidad

No crea en nada, ni siquiera en lo que lea sobre

Extraterrestrología.

EXPERIMENTE

Tenga sus propias experiencias.



Endereço: Rua Cosmoética 1635, Bairro Cognópolis, Foz do Iguaçu, Brasil 

Informações e sugestões

info@extracons.com